Auto responsabilidade, Autoconhecimento, Evolução, Poder Pessoal, Reforma Íntima, Superação Emocional

Decepção

Li há pouco um artigo (bem bacana, por sinal) cujo título dizia:

“Pessoas boas costumam sofrer muitas decepções na vida, mas estão sempre felizes”.

A palavra “decepções” me chamou atenção e me deu vontade de falar a respeito.
É um termo forte, usado com frequência por todos que se frustram após depositarem expectativas em alguém (ou algo).
No dicionário está escrito:

DECEPÇÃO: sentimento de tristeza, descontentamento ou frustração
pela ocorrência de fato inesperado, que representa um mal; desilusão,
desapontamento.

O texto a seguir é sobre pessoas que dão alguns tropeços, erram feio, mas estão dispostas a melhorar em algum momento. São BEM diferentes daquelas que usam a má fé de forma intencional, ou seja, SEMPRE e somente se aproximam daquelas que têm um valor de contribuição muito forte para, então, se aproveitarem e se beneficiarem de sua boa fé.
Vamos lá:

Cada um dá o que tem.
E quando uma pessoa, esteja ela “boa” ou “má” (falo esteja e não seja porque ninguém é bom ou mau o tempo todo), vacila ou não reconhece o valor de algo feito com uma boa intenção é porque provavelmente falta algo NELA.
E sem julgamento, viu? Apenas entendendo que cada um tem seu tempo, seu jeito e sua forma de lidar e aprender com a vida. Obviamente, em algum momento existe a hora de colher e é só nessa hora que somos capazes de avaliar nossas ações. Umas optam por buscar melhorias enquanto outras teimam e permanecem agindo da mesma forma esperando um desfecho diferente.
Opção dela. Colheita dela. E tá ok.
Você fez a sua parte, honrou a sua essência que é agir de acordo com um valor seu (doação, contribuição, escuta ativa, etc). Portanto, quando sentir que a decepção te gerou revolta,  faça o seguinte: Mude o Foco. Troque a decepção por satisfação pessoal, pois do contrário estará dando poder ao invés de se empoderar. Não vale à pena fomentar uma emoção que te enfraquece e te coloca pra baixo.
Isso é usar o seu poder pessoal ao seu favor; é se valorizar e se reconhecer como um ser humano do bem.

No meu caso, eu aprendi a  dizer à mim mesma:

“Siga, prossiga e aprenda com seus erros e acertos. Se reconheça, inclusive, como boa ou má em determinada situação e escolha – com uma lente novinha em folha – com quem você deseja compartilhar e aprender.

Olhar pra isso é libertador e nos coloca como expectadores/aprendizes de algo e não como vítimas.
Percebe?
Faz toda a diferença ativar o nosso senso de auto responsabilidade e poder pessoal.

Custei a entender o porquê de eu nunca desistir de ser como sou em relação as pessoas.
Também entendi que saber receber e reconhecer com gratidão genuína é tão raro quanto saber se doar sem se colocar em segundo plano.

Percepções que o coaching me trouxe ao longo desses 4 anos de uso da metodologia.

“(…) Mas mesmo assim, as pessoas boas continuarão a sorrir, a caminhar tranquilamente, a acordar com o propósito de ser e de fazer gente feliz, porque é assim que sua alma se torna cada vez mais rica e agraciada com as bênçãos que só quem é alegre de verdade está pronto para receber. Todos os dias.”
(Marcel Camargo)


 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s